Distúrbio de Défict de Atenção, hiperatividade e bullying

 

Cada vez mais crianças têm sido diagnosticadas com o distúrbio de déficit de atenção/hiperatividade DDA/HI, embora esta não seja uma síndrome nova.  É o transtorno mais comum em crianças e adolescentes encaminhados para serviços especializados, ocorrendo em 3 a 5% das crianças, em várias regiões diferentes do mundo em que já foi pesquisado.

Segundo a definição de Colleen Alexander Roberts (1995), DDA/HI é “uma síndrome neurológica caracterizada por dificuldades severas e pertinentes que resultam em sintomas de falta de atenção, impulsividade, ‘distraibilidade’, hiperatividade ou uma combinação destas, que são excessivas ou impróprias para a faixa etária da criança”.

DDA/HI não é uma dificuldade de aprendizagem, embora elas geralmente coexistam nas crianças diagnosticadas.  Não é um distúrbio emocional, embora possa provocar problemas em crianças e adultos.    Hallowell e Ratey, psiquiatras estudiosos do assunto, explicam que DDA/HI existe no cérebro e sistema nervoso central e seus problemas têm origem no mal funcionamento neurobiológico, com causas genéticas.

A incapacidade de regular o comportamento junto com pouca habilidade de autocontrole colocam as crianças e jovens diagnosticados com este distúrbio em alto risco de fracasso acadêmico e relações difíceis com seus pares . E, portanto, de serem perpetradores ou vítimas de bullying.

Um estudo de 2008, na Suécia, mostrou que crianças com DDA/HI têm quatro vezes mais probabilidade do que crianças sem a síndrome de serem agentes de bullying e quase 10 vezes mais chances de serem alvos regulares de bullying.  Os autores acompanharam 557 alunos do quarto ano de uma cidade próxima a Estocolmo, durante um ano.  Através de entrevistas com pais, professores e as próprias crianças, eles determinaram quais apresentavam sintomas de DDA/HI e os encaminharam para diagnóstico com neurologista.

Segundo o coautor do estudo, Anders Hjem, os resultados subestimam a importância de se observar como crianças com DDA/HI interagem com seus colegas.  Elas podem tornar miserável a vida de seus pares, ou pode ser que os problemas de atenção que apresentam estejam relacionados ao stress de estarem sendo vítimas de bullying.

Cerca de 10 meses antes da publicação do estudo acima, um artigo no jornal Ambulatory Pediatricsmostrou que crianças diagnosticadas com autismo e DDA/HI tinham quatro vezes mais chances de praticarem bullying do que seus pares na população geral.

Fonte do estudo sueco

http://www.4-adhd.com/adhd/adhd-students-at-increased-risk-of-bullying-being-bullied.htm