top of page
Buscar
  • Sally Weale, The Guardian

Crianças inglesas entre as mais infelizes do mundo devido ao bullying


Crianças inglesas entre as mais infelizes do mundo, na escola, devido ao bullying

19 de Agosto de 2015

Fonte: http://www.theguardian.com/society/2015/aug/19/english-children-among-unhappiest-world-widespread-bullying

As crianças da Inglaterra são mais infelizes na escola do que seus pares em quase todos outros países incluídos numa nova pesquisa internacional, com o bullying extensivo causando um enorme dano ao seu bem-estar.


Uma estimativa de meio milhão de crianças entre 10 e 12 anos sofrem bullying físico na escola, de acordo com estudo da Children’s Society, que encontrou que 38% das crianças pesquisadas tinham apanhado de seus colegas no último mês.


Numa comparação internacional da felicidade das crianças em 15 outros países, o estudo concluiu que as crianças na Inglaterra eram mais infelizes na sua experiência escolar do que seus pares em 11 outros países, incluindo a Etiópia e a Algéria.


Os resultados pintam um quadro alarmante das experiências infantis nas escolas da Inglaterra e seu sentimento de bem-estar mais amplo.


“É profundamente preocupante que as crianças nesse país sejam tão infelizes na escola em comparação com outros países, e é realmente chocante que milhares delas estejam sofrendo bullying físico e emocional, prejudicando sua felicidade. A escola deve ser um paraíso seguro e não um campo de batalha. ”


De acordo com o estudo, crianças que sofriam bullying frequentemente tinham seis vezes mais chance de ter um baixo senso de bem-estar do que as que não tinham sofrido bullying.


As crianças nas escolas inglesas sentiram ser deixadas de lado pelos colegas no último mês, com metade dessas se queixando de terem sido excluídas. Os meninos apanharam dos seus colegas 50% mais do que as meninas, enquanto elas foram 40% mais excluídas.


Em média, 11% das crianças disseram estar insatisfeitas com a vida escolar, particularmente com as relações fracas com os professores, item que a Inglaterra ficou em 14º. lugar entre os 15 países. Também estavam infelizes com o que estavam aprendendo (11º. lugar) e 12º. com seus colegas.


O estudo também revela que as crianças da Inglaterra estão particularmente infelizes em relação à sua aparência. As meninas ficaram muito embaixo em termos de sua satisfação com a aparência e autoconfiança em comparação com todas as outras meninas, com a exceção da Coreia do Sul.


Estavam duas vezes mais insatisfeitas do que os meninos com seus corpos (18% em comparação a 8%), com poucos outros países do estudo apresentando a mesma diferença de gênero.


O estudo também realça a diferença na experiência das crianças das escolas primárias e secundárias com as crianças no sexto ano, o último ano do primário relatando que gostam de ir para a escola (61%), comparadas com apenas 43% no oitavo ano.

O estudo internacional está baseado numa pesquisa de 53000 crianças entre 10 e 12 anos na Inglaterra, Alemanha, Noruega, Coreia do Sul, Polônia, Estônia, Espanha, Turquia, Romênia, Algéria, África do Sul, Israel, Etiópia, Colômbia e Nepal.


“Somos uma das nações mais ricas do mundo e mesmo assim a felicidade de nossas crianças está lá embaixo. ” Matthew Reed.


No geral, a pesquisa conclui que as crianças inglesas estão mais infelizes com suas vidas do que as de 13 outros países incluindo Israel e África do Sul, só a Coreia do Sul ficando atrás.


Interessantemente, porém, o relatório aponta que as crianças na Inglaterra têm satisfação relativamente alta com cinco aspectos particulares de suas vidas – amizades, dinheiro, bem, suas relações com parentes com quem não vivem e com a polícia local.


Como consequência desses resultados, a Children’s Society está pedindo ao governo que seja obrigatório para as escolas inglesas oferecerem aconselhamento para os alunos e que as escolas ajudem o bem-estar das crianças enfrentando o bullying e promovendo exercício físico.


“Apesar de um longo período de austeridade, nós somos uma das nações mais ricas do mundo e mesmo assim a felicidade de nossas crianças está lá embaixo”, disse Reed. “Elas estão infelizes na escola e lutando com questões a respeito de sua aparência e autoconfiança. ”


“Sabemos que isso está relacionado à sua saúde mental e podemos evitar que floresça. Precisamos urgentemente encontrar uma forma de fazer os jovens se sentirem mais felizes com suas vidas para evitar que armazenem problemas para o futuro. Dar às crianças uma infância feliz deve ser nossa primeira prioridade. ”


180 visualizações0 comentário
bottom of page