top of page
Buscar
  • VALERIA REZENDE DA SILVA

Você já pensou sobre isso?




Sabemos que as pessoas com algum tipo de diferença ou até mesmo deficiência são alvos preferidos do bullying. Temos vários exemplos disso com crianças e jovens autistas, cadeirantes, gordos, com acne, e por aí vai.

Nunca tinha pensado em outras diferenças que também podem sofrer bullying ou não inclusão em seus ambientes escolares e de trabalho. Por isso me surpreendi com o relato de uma jovem aqui no meu site. Ela não vem tendo o atendimento adequado na faculdade onde estuda por ter uma insuficiência renal. Falta à instituição de ensino a compaixão, poder olhar para um caso que não consta de seu Regimento, mas que não deixa de merecer atenção e consideração.

Com a permissão da jovem, transcrevo abaixo seu desabafo. Espero que possamos refletir sobre isso e mudar nossa forma de agir.


"Olá Valeria, tudo bem? Adorei seu site, pois é muito comunicativo e educativo para todo o tipo de público que acessa. Estou entrando em contato para lhe relatar um fato, o qual muitas pessoas acreditam não ocorrer num mundo que prega educação inclusiva em pelo século 21. Sou aluna de biomedicina, e possuo insuficiência renal crônica há 6 anos. Acredito sofrer bullyng por parte da minha faculdade desde o momento de meu diagnóstico em 2010, o qual já fui fruto de exemplos em sala de aula por professores por ter problema renal, estar em hemodiálise e em lista de transplante. Hoje, em 2016, convivo com a falta de entendimento da faculdade sobre meu quadro clínico, que indefere cotidianamente os atestados entregues na central de estudantes para justificativa de faltas, alegando que os mesmos não estão contemplados no regimento escolar (traumatismo, gravidez, doença infecto-contagiosa). A Faculdade faz eu levar laudos médicos desde que tive o diagnóstico de insuficiência renal, e mesmo assim passo por situações constrangedoras, onde acabo tendo que me expor cotidianamente perante atendentes e professores. Sabe Valeria, as pessoas acham que o bullyng só acontece com crianças e adolescentes em escolas, mas e nós doentes? Nós estamos frágeis, muitas vezes podendo contar somente com nossos familiares e amigos próximos para nos ajudar. Este é um assunto o qual ninguém fala, e ninguém quer falar.. da quantidade de "NÃO" ganhos em entrevistas de trabalhos quando falamos que temos problema de saúde e que podemos vir a faltar algum dia por ida em médico ou por não estarmos bem.. Aonde está a inclusão pregada por 'todos'? Ela simplesmente NÃO existe, é pura hipocrisia. Desculpe o desabafo, desde já obrigado. Lauren"


67 visualizações0 comentário
bottom of page