Bullying, Autocontrole e DDA/HI


Notei que o a relação entre déficit de atenção/hiperatividade e bullying vem provocando muitos acessos no material de pesquisa. 

Trago hoje um novo artigo, um pouco mais antigo, mas que trata muito bem o assunto.  A pesquisa foi realizada nos Estados Unidos, com uma amostra de 1315 alunos de middle-school (Fundamental II).

Traduzi uma parte dele, com os resultados sobre bullying e DDA/H. 

 

UNNEVER, J.D e Cornell, D.G.Bullying, Self-Control, and ADHD

JOURNAL OF INTERPERSONAL VIOLENCE, Vol. 18 No. 2, Fevereiro 2003 129-147

Este estudo contribui para nossa compreensão de fatores psicológicos associados com o bullying e a vitimização.  Alunos do Fundamental II (middle-school) que relataram tomar medicação para DDA/HI eram mais prováveis tanto de praticar bullying quanto de  serem vitimizados por bullies.  Aproximadamente 13% dos alunos tomando medicação relataram que praticavam bullying pelo menos duas a três vezes por mês em comparação com 8% dos outros alunos.  Da mesma forma, 34% dos alunos tomando medicação, em comparação com 22% dos outros alunos, relataram que sofriam bullying pelo menos de 2 a 3 vezes por mês.  Notavelmente, o impacto de DDA/HI sobre sofrer bullying foi duas vezes maior que o efeito sobre bullying.

Embora seja consistente com a literatura que crianças com DDA/HI possam se envolver em comportamentos agressivos impróprios em relação a seus colegas, não está tão claro porque as crianças com DDA/HI são vítimas de agressão pelos colegas.  As crianças com DDA/HI podem ter baixo status em relação aos pares ou terem poucos amigos, tornando-as mais vulneráveis à atenção de um bully.  Algumas crianças com DDA/HI podem ter habilidades sociais fracas ou se envolverem em comportamento inapropriado que provoca respostas agressivas em seus pares.

Informalmente, os pais de uma criança com DDA/HI sugeriram que os professores poderiam tratar estas crianças com menos respeito, inadvertidamente estimulando um comportamento similar por seus colegas.  De uma forma mais geral, os problemas de aprendizagem e dificuldades com a disciplina que estes alunos com DDA/HI experienciam poderiam identificá-los como objetos de zombaria por seus pares.  Enfatizamos estes fatores porque o contexto social desempenha um importante papel no bullying (Espelage, Bosworth & Simon, 2000) e porque Pellegrini, Bartini e Brook (2000) encontraram evidência de que os padrões de afiliação com os pares e não os fatores ambientais da escola estavam associados com bullying e vitimização.

O resultado de que alunos com DDA/HI correm maior risco de serem vitimizados por bullies tem implicações para a prestação de serviços educacionais e de saúde mental para estes alunos e merece mais investigação.  Os serviços atuais em ambientes educacionais focam em melhorar a atenção do aluno e seu comportamento nas tarefas, com o objetivo de melhorar o desempenho acadêmico e diminuir comportamento potencialmente perturbador na sala de aula.  No entanto, se as crianças com DDA/HI forem alvos de bullying, então os esforços de intervenção devem incluir políticas que minimizem as interações entre alunos com DDA/HI e seus colegas que levem à vitimização (i.e., o contexto social de sua vitimização). Os alunos com DDA/HI que sofrem bullying na escola podem não responder a serviços e intervenções que foquem apenas desempenho acadêmico e comportamento obediente na sala de aula.