Definição de bullying

 

“A definição de bullying tem sido discutida na literatura e muitos vêem o bullying como um subconjunto de comportamento agressivo (Espelage, Bosworth & Simon, 2000; Pellegrini, 2002a; Pellegrini & Long, 2002; Smith et al., 1999, 2002). Dodge e Coie (1987) definem o bullying como uma forma de agressão proativa, em que o bully não é provocado e inicia os comportamentos de bullying. A definição de bullying de Olweus, Limber e Mihalic (1999) afirma que o bullying é ‘comportamento agressivo’. No entanto, para diferenciar o bullying da agressão, o comportamento bullying inclui um desequilíbrio de poder entre o agressor e o alvo, é intencionalmente danoso e ocorre repetitivamente (Olweus et al., 1999). O desequilíbrio de poder significa que o agressor é mais forte de alguma forma (p.ex., mais popular, fisicamente maior, mais esperto, tem um alto status social) do que o alvo. Além de comportamento agressivo, o bullying inclui outras formas de agressão que não podem ser prontamente observadas. Por exemplo, o bullying pode incluir uma pessoa fazer ameaças a outra sem ser realmente agressiva fisicamente. O bullying também pode ser perpetrado via computador ou celular (cyberbullying) e pode incluir agressão relacional (Circk & Grotpeter, 1995) e social (Underwood, 2003). Assim, o uso de comportamento agressivo observável ou não observável, o desequilíbrio de poder e a natureza repetitiva do bullying diferencia os comportamentos bullying de outras formas de agressão. De acordo com o dicionário da American Psychological Association, bullying é “ameaça e comportamento agressivo persistentes dirigidos a outras pessoas, especialmente aquelas que são menores ou mais fracas (VandenBos, 2007, p.139).”

Fonte: Swearer, Espelage, Napolitano. Bullying – Prevention & Intervention. Realistic Strategies for Schools.  The Guilford Press, 2009.